PREFÁCIO - Talvez nem todas essas 100 histórias sobre Michael Jackson, sejam totalmente verdade. Mas certamente elas não são totalmente mentira ! Durante 50 anos de vida e 40 anos de carreira, Michael Jackson conheceu e conviveu com milhares de pessoas e encantou à todas elas. Cada uma dessas pessoas tem uma história inesquecível para contar, sobre Michael. Aqui estão algumas dessas histórias, que foram recolhidas ao longo de muitos anos. Assim como sua música, a personalidade de Michael Jackson, também é genial ! Voltar para MJ Planet

- As mulheres de sua vida



MICHAEL - E as mulheres de sua VIDA
Histórias extraídas do livro – ‘As confissões de Michael Jackson’ de
Shmuley Boteach, confessor e guia espiritual de MJ entre 200 e 2001.
.
Um dos aspectos mais novos e reveladores do livro é o retrato que Jackson deixa através de sua relação com cinco mulheres chaves em sua vida: Elizabeth Taylor, Shirley Temple, Madonna, Lisa Marie Presley e Brooke Shields. Uma mistura de admiração e culpa - desejo, amizade, amor e expiação.
.
Michael cultivou uma extraordinária amizade com Liz Taylor, durante toda a sua vida por considerar que era mais fácil para ele relacionar-se com figuras maternas como ela e Janet, e sobre esse relacionamento comentou com seu confessor Boteach:
- "Viemos do mesmo lugar... por isso Elizabeth entende o mundo de onde eu venho. Comunicamo-nos sem dizer uma palavra”.
.
Com Brooke Shields ele viveu uma experiência especial. Era o início dos anos 1980, ela era a mulher mais linda e desejada, enquanto ele estava a caminho de se coroar com "Thriller". Uma noite se encheu de pura felicidade. Acabava de dançar com a atriz de "A Lagoa Azul", seu amor platônico. Assim, quando voltou para casa e entrou em seu quarto forrado de fotos da estrela, transbordou de alegria e improvisou sozinho um recital de dança em seu quarto. Até que a magia se desvaneceu quando "ela fez uma abordagem muito íntima" e ele entrou em pânico... Depois viria o arrependimento, porque "deveria ter sido mais corajoso". Anos depois ele se lembraria com alegria e pesar daquela felicidade.
.
Encurralado por suas próprias necessidades afetivas, o artista enfrenta nos anos 90 sua relação mais obscura e turbulenta, com outra estrela da música, Madonna. Uma ameaça latente que o perturba e o confrontam com sua moral, inseguranças e preconceitos; além de acreditar que ela tinha inveja e ciúme dele. Relata com certo ressentimento a maneira como, no início de sua relação, ela estabeleceu as condições de antemão, advertindo-o, entre outras coisas, que se negava a ir a Neverland. É uma relação de cão e gato. Ela o escandaliza. E ele admite que saiba como tocar as teclas adequadas para consegui-lo:
- "Creio que seu amor por mim era sincero, mas eu não estava apaixonado. Sim, ela fazia muitas loucuras: eu sabia que não tínhamos nada em comum."
E Madonna adorava provocá-lo com jogos lascivos:
- "O que você acharia se lhe chamasse por telefone para lhe contar que estou com os dedos entre as pernas? “
Ela fazia isso e eu respondia:
-'Ah, Madonna, meu Deus!' E ela respondia:
- 'Quando desligarmos, eu quero que você se toque pensando em mim'.
Esse é o tipo de coisa que ela diz o tempo todo. E quando você volta a vê-la diz: - 'Esse é o dedo que usei ontem à noite'.
-“Era selvagem, estava completamente fora de controle."
Mas quem ficava mais descontrolado era ele.
.
Sobre sua relação mito maníaca através de Lisa Marie, a filha de Elvis Presley, com quem se casou em 1994, diz que foi "genial". Sim, discutiam:
- Ela "era muito territorial com seus filhos. Eram sua maior preocupação, e eu lhe dizia que não, que todas as crianças são como nossos filhos, coisa que ela nunca gostou de me ouvir dizer".
.
Michael Jackson reconhece que as mulheres que mais lhe interessavam eram as que não estavam sempre disponíveis, aquelas que ele tinha de perseguir:
- "As que tinham classe e eram discretas, não pensavam só em sexo e toda essa loucura, porque esse não é o meu estilo. Não entendo muitas coisas que acontecem nas relações e não creio que um dia chegarei a entendê-las: acho que foi isso que deu errado em minhas relações, não compreendo como as pessoas fazem certas coisas. Portar-se mal ou ser vulgares com seu corpo."
Ele buscava um amor "muito puro".
.
Mais tarde, quando já passara dos 40 anos, Michael seria assaltado por novos medos, como o que eclipsava sua carreira pelos temores de envelhecer e que o levaram a afirmar:
- "Não quero viver por muito tempo... não gostaria... creio que envelhecer é o pior. Quando o corpo começa a deixar de funcionar e você vai enrugando... Acho terrível".

Nenhum comentário:

Postar um comentário